2017-08-14

Praia da Adraga

Brrr! Que água tão fria!

2017-08-11

Frankfurt

Não. Não é tudo imaginação minha!
Cá está o camone tropicalizante (ou seria um russo igualmente tropicalizante) da escala no aeroporto de Frankfurt.

2017-08-09

Bar 222

Um serão em Chicago juntou-se a turma no Bar 222 onde uma banda tocava rock americano de colheitas menos recentes.
Eram tantos os sketchers que a banda se sentiu apreciada, tocou até mais tarde e no final andou com ahs e ohs a passear pelos cadernos. Nessa ocasião, ao vê-los de mais perto, percebi que todos tocavam de chapéu para esconder o que lá faltava por baixo... o rock tinha mesmo alguns anos.

2017-08-08

Chicago

Quando, nos workshops de iniciação aos diários gráficos, dizemos que o mundo todo cabe dentro dos nossos cadernos não estamos a considerar uma viagem a Chicago. Não consegui mesmo acertar com estas escalas e grafismos. Devia era ter-me inscrito num daqueles workshops avançados que falam de deformações e torcidões...


2017-08-07

Veronica Lawlor

Há muito que sigo, com admiração, o trabalho da Veronica Lawlor , de NYC, Urban Sketcher desde a primeira hora.
Como correspondente em Chicago tive oportunidade de acompanhar um dos workshops que ela orientou no 8º Symposium USk.
Para além do mais fiquei admirando a capacidade de desenhar em pé, virada para os alunos, num caderno A3. Assim mesmo, olhando de cima para baixo... e os desenhos ficam bem! Como se tivessem sido feitos ao estirador.


2017-08-04

John Hancock Center

Isto há que fazer escolhas que o tempo e a vida são caros e os US$ não chegam para tudo.
Não entrei na Willis Tower mas fui ao John Hancock Center que é um arranha-céus feito pelos mesmos arquitectos, um pouco mais baixo e um pouco mais antigo mas muito mais bonito.
No 95º piso tem um famoso (e caríssimo) restaurante com uma mezzanine/ bar, o SIGNATURE ROOM onde, pelo preço da bebida mais barata (um sumo de pacote por 10,00 US$) estive 15 minutos numa mesa mesmo defronte da janela virada a poente. De vez em quando passava uma nuvem e ficava virado para lado nenhum. Tudo branco e as luzes interiores aumentando de intensidade.
Nestas planícies do Mid West o horizonte é mesmo horizontal e o casario a perder de vista mas cada vez mais ralo e entremeado com verdes.

2017-08-03

EL TRAIN

EL refere o Elevated Train que cruza Chicago em vários sentidos.
Há também o METRA (assim mesmo, no feminino) e ainda outras linhas do CTA (alguém se lembra da banda Chicago Transit Authority?)
Acaba por ser uma excelente rede de transportes públicos.
Não consegui foi fazer um desenho desta futurista estrutura (com 100 anos) ferrugenta, que abana, pinga fluídos, larga poeiras e faz uma barulheira cada vez que passa um comboio.
Parece que só lhe estou a pôr defeitos, mas nada. Fui atraído por ela desde o primeiro encontro e só tenho pena de não lhe ter podido dedicar mais tempo e mais papel.

2017-08-02

I have been on the BEAN

Acompanhei o workshop da Suhita Shirodkar, que foi no "Bean". O fantástico, magnético, surpreendente BEAN (na verdade chama-se CLOUD GATE e é obra do Anish Kapoor.
É absolutamente incrível a quantidade de pessoas que, a toda a hora e todo o momento andam à volta daquele espelho fazendo caretas e figuras esquisitas mas, sempre e sobretudo, tirando fotografias. Até há quem peça "... é pá tira-me aí uma selfie".
Todos querem registar que estiveram no BEAN.
Foi dos poucos desenhos que fiz fora das obrigações de correspondente, de forma que foi este o desenho que entreguei para o leilão no final do Symposium (destinado a financiar a organização).
... e foi comprado! Fiquei com esta fotografia.

2017-07-19

2017-07-18

Mais pessoas

#oneweek100people2017
Em aquecimento para o 8º Symposium USk, Chicago.

2017-07-17

One week 100 people 2017

O desafio já é antigo mas resolvi requentá-lo em aquecimento para o 8º Symposium Urban Sketchers, Chicago.

2017-07-16

#oneweek100people2017

Aproxima-se o Symposium USk 2017 Chicago.
Ainda não cehagaram os workshops, lectures, atc mas já aí estão os desafios. E o primeiro é o #oneweek100people2017.
Alguém alinha?

Praia da Peralta

Na Praia de Peralta, olhando para sul.

2017-07-13

O salvavidas de Esposende

Com aquela barra o salvavidas de Esposende tem de ter pouco calado, muita coragem e toda a prontidão.
Este ainda é um desenho do excelente encontro NÓS E OS CADERNOS 2016 organizado pelo TIAGO CRUZ.
Este ano há mais, já no próximo fim de semana. Quem puder lá ir não se arrepende com certeza.

2017-07-12

Câmara de Lobos

Há anos que não ia a Câmara de Lobos mas há coisas que não mudam.
O mar mesmo ali, molhando a praia de calhau rolado.
As inúmeras lagartixas tão fugidias como curiosas.
O casario sorrateiramente avançando para o mar escondendo-se atrás daquele espigão de rocha castanha quase negra.
(As lagartixas e o calhau rolado fugiram do desenho)

2017-07-11

HOSPITAL DE LISBOA ORIENTAL

Apresentação do Projeto de Desenvolvimento da Infraestrutura Hospitalar do Hospital de Lisboa Oriental
2017-07-12, Auditório Infarmed

2017-07-10

As árvores da Madeira

As árvores (e a vegetação de uma forma geral) são um dos atractivos da Madeira. Desenhar aquelas árvores seria um programa de vida. Há para todos os gostos, das mais espampanantes às mais clássicas.
O problema é que, para mim, são exóticas e nem sempre consigo distinguir o que é característico do exemplar e da espécie.

2017-07-09

2017-07-06

Cinco minutos no Cabo Girão...

... não dão para absorver a grandiosidade da vista.

2017-07-05

À espera do horário.

Não sei se há correspondência no cumprimento dos mesmos mas os autocarros, na Madeira, chamam-se HORÁRIOS (Há mesmo uma CENTRAL DE HORÁRIOS).
Este desenho foi feito na paragem dos ditos, à saída de Câmara de Lobos. Como foi pontual não houve tempo para mais desenvolvimentos.

2017-07-04

Castro Verde em peças soltas

Ainda me sobram alguns desenhos do fantástico Encontro de Castro Verde.

2017-07-03

Bailinho da Madeira


A Madeira está de tal forma centrada à volta do turismo que há lugares turísticos e lugares mais turísticos. Alguns são comuns. Mas lá vamos assistindo, comendo uns excelentes petiscos com ainda melhor companhia e batendo palmas no fim. No fim de contas vale a pena a visita.

2017-07-02

Mercado dos Lavradores, no Funchal

É lindo, mas é tão tão para Inglês ver que até o nome é diretamente traduzido, acrescentado-se "dos lavradores" tal como em Farmer's Market.
(Ah! e os preços são verdadeiramente para turista. Uma esquina mais adiante o kg passa de 19,90€ para 2,30€ e a fruta é rigorosamente a mesma.
À porta vendem-se flores com fatiotas a preceito.

2017-06-30

2017-06-29

2017-06-28

À espera...

... que felizmente foi curta.

2017-06-27

Marina do Funchal

Com vista para as Desertas.
Mantendo-se inalterada a vista para as ilhas, o primeiro plano evoluiu extraordinariamente nos últimos anos.
Contas feitas - é uma maneira de dizer, não me refiro às contas propriamente ditas - a evolução foi muito positiva.

Ribeira da Janela

Por breves instantes espreitando à janela da foz da ribeira da dita.

2017-06-25

As ribeiras da Madeira

As ribeiras da Madeira são assim.
Brutais. Talhadas a machado, directamente na rocha. E o machado é a água. E as casas mesmo na borda delas (não há betão que lhes garanta a segurança). Soltam calhaus enormes mas, com a pressa, nunca chegam a calhaus rolados. É um pavor pensar como serão as enxurradas (aluviões como por lá se chamam). Trágicas. Davam matéria para um fado.
São assim as ribeiras da Madeira.


2017-06-23

Câmara de Lobos

Entre turistas, atuns e ponchas.

2017-06-20

Ordenamento florestal

Há anos que não ia à Madeira e não conhecia os teleféricos.
Valem a pena! Dão uns fantásticos percursos, com umas vistas fabulosas e paisagens deslumbrantes.
Ao mesmo tempo uma frustração amarga ao ver que mesmo por baixo de nós, naquele vale subtropical que ardeu bárbara e tragicamente no ano passado, crescem em searas as acácias e eucaliptos selvagens sem qualquer tipo de ordenamento.
Por entre as árvores queimadas, algumas ainda de pé e outras acrescentando uma densa camada morta vêem-se ainda restos de socalcos, levadas e pequenas construções antigas, do tempo em que a pequena agricultura era uma mais valia, mas agora é só o verde a crescer conforme quer. Daqui a dez anos está tudo pronto para nova imprevisibilidade.

2017-06-19

Fogo de artifício

Quando chegamos ao Funchal até festejaram com fogo de artifício.
Ainda não havia notícias de Pedrógão Grande.

2017-06-08

Charging Bull, NYC

O desenho já é antigo.
Se fosse agora, além da multidão de turistas (parece Lisboa), teria de desenhar uma menina.

2017-06-07

Rua Prof Teresa Ambrósio

Numa pequena mas oportuna cerimónia a CM Lisboa deu hoje o nome da Professora Teresa Ambrósio a uma rua da cidade, ali mesmo junto à Universidade.

À espera


2017-06-05

Um fim de semana em grande

É uma ginjeira, no Hospital Júlio de Matos e na sexta-feira estava linda. Cheia de fruta, ainda não completamente madura, vermelhíssima, brilhante, com a pele esticada e sem mácula. Mesmo a pedir "mão de mexer" (© Carlos Tê).
Ainda vi chegarem os melros. Muitos. Negros. Quase mais melros que ginjas. Pareciam políticos à volta dos negócios. Para eles foi um fim de semana em grande.

2017-05-31

Fróia

Praia Fluvial de Fróia, ALDEIAS DE XISTO.
Um desenho já com anos mas acho que ainda não tinha saído do caderno.


2017-05-30

À espera...

... na Escola Padre Alberto Neto.

2017-05-29

Batalha de Ourique

Teoricamente a Batalha de Ourique foi em S Pedro de Cabeças, onde há uma ermida encostada a um talefe... ou será um talefe encostado a uma ermida?
Mas o obelisco comemorativo está em Castro Verde, mesmo em frente à Câmara... ou será que a Câmara lhe fica por trás?
Por outro lado dizem que a Batalha de Ourique não chegou a combater-se, que foi um "arranjo" político igual aos que se cozinham agora... ou será que os arranjos políticos de agora são diferentes?
Mistérios...

2017-05-26

Ulmeiro

Lembro-me dos ulmeiros no Jardim da Estrela, na Av Liberdade e noutros locais. Umas árvores grandes que no outono atapetavam o chão.
A páginas tantas deu-lhes o trangolamango e desapareceram. Foi assim em toda a Europa, menos numa pequena aldeia... não, não estou a falar do Astérix.
Estou falando de uns lindos ulmeiros que me mostraram no Hospital Júlio de Matos. Nem os reconhecia porque são umas jovens e belíssimas árvores ainda sem a "poda camarária" que formatou os ulmeiros que tinha na memória. Aprendi até que têm uma assimetria na base das folhas, tal como as tílias.
Será que a bactéria ou lá o que deu cabo dos ulmeiros não chega ao HJM? Será mesmo o regresso do Astérix?



2017-05-25

Almada Negreiros

Uma Maneira de Ser Moderno, na FCG

2017-05-24

Claire Fressynet

A exposição da Claire Fressynet, na Biblioteca da JF Estrela, tem desenhos tão bonitos como o nome: SEGUINDO O FIO DA RESPIRAÇÃO.

Ervas espontâneas na cidade

Tão anónimas (para mim) como vulgares, mais umas ervas espontâneas para o desafio QUERCUS-USkP.
Desenhei-as no Hospital Júlio de Matos, Alvalade, Lisboa.
Mas sinto-me invadindo territórios e ultrapassando competências. Isto é tarefa para desenhadores científicos ou para botânicos. Não para simples urban sketchers.

2017-05-22

Ervas espontâneas na cidade

Seguindo o desafio da QUERCUS.
Não sei como se chamam estas espigas, mas aparecem por todo o campo e cidade, pelo menos aqui pelas latitudes de Lisboa.
Também não sei quando é o DIA DA ESPIGA mas palpita-me que estará para breve o encontro fatal entre o calendário e as espigas, papoilas, camomilas, oliveiras, etc.
(Local: Hospital Júlio de Matos, Freguesia de Alvalade, Concelho de Lisboa)

2017-05-21

Noite dos Museus

Um verdadeiro sucesso a primeira experiência do MARG - Museu da Aguarela Roque Gameiro na Noite dos Museus.
Havia sempre mais gente a querer ver a exposição.

Noite dos Museus, no MARG

Os desenhos que fui publicando no blog USkP Urban Sketchers Portugal, durante a primeira experiência do MARG Museu da Aguarela Roque Gameiro na NOITE DOS MUSEUS.